Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

sábado, 24 de junho de 2017

Meus campeonatos: Eliminatórias pegando fogo!

Vamos atualizar minhas Eliminatórias para a Copa do Mundo Japão 2017. Já se foram mais de 01 mês de disputas e ainda não terminou, devido ao excesso de seleções, já que este ano todos os times, exceto o anfitrião, estão se 'matando' na mesa de Botões para Sempre!
Pela Concacaf, EUA, Porto Rico, México e Canadá, todos Brianezi, tanto da primeira edição, duas faixas, semiflexível, se classificaram. Na América do Sul, Brasil e Uruguai também da primeira edição (estou optando colocar esses em detrimento dos duas faixas, que, no mundial passado não foram bem) também garantiram vagas, assim como a Argentina (modelo duas faixas, vice-campeã de 2016), Paraguai (de tamanho 4cm, de celulóide antigo), Bolívia da Brianezi e a surpresa Peru da Champion/USA Sports. No Continente Africano, Marrocos (talvez o único representante da Crakes até agora), Argélia da Ki-Gol e Camarões da última leva dos Brianezi. Na Ásia, além do Japão duas faixas anfitrião da Brianezi, Arábia Saudita de 45 mm de celulóide da Brianezi e Austrália da Ki-Gol que se 'degladiou' com o Líbano também da Ki-Gol para garantir o último suspiro!
Na Europa, último continente ainda em disputa, já garantiram vagas equipes da Sportec, como Portugal e Islândia, Rússia da Brianezi, Iugoslávia de 1985 do antigo fabricante Badolato, em apenas escudo e número, uma jóia rara da coleção, Bélgica de 1972 em escudo e número, a belíssima e rara França também de 1972 da Brianezi e Hungria - os magiares da última edição de Lúcio Brianezi. Na minha visão esta será a Copa do Mundo da primeira edição da Brianezi, botões mais raros que os 'duas faixas' e que vem 'voando' literalmente na mesa, mesmo sendo mais antigos que os outros modelos. Até o começo de julho estaremos finalizando as 32 equipes.
Suécia 1 x 1 Portugal
Brianezi 'duas faixas' e Sportec. Literalmente, um grande jogo!
A dupla Tigana e Platini fazendo bonito, quantas encobertas cirúrgicas, de um time que foi fabricado em 1972, mamma mia, esse exemplar Paulo Brianezi deu show!!! Quanto valem picaretas no Mercadinho Negro? KKKK.
Pedro Rocha como destaque da Celeste Olímpica, também de 72-76
Os CBD de 1972, feitos para a Copa de 1974, digamos, Paulo César Caju, Rivelino, Dirceu, Waldomiro como destaques de mais uma seleção.
Olham só que maravilha esta camisa CBD: da coleção particular do grande compositor e cantor Raimundo Fagner, que é amigo de todos esses craques antigos da seleção canarinho
Da Concacaf dois belos times: segunda e primeira edições
Exemplar do fim dos anos 70 e que esquema fantástico, taticamente falando dos Canadenses!
4cm, um pouco menores que os Brianezi, de fabricante desconhecido: quem diria que esses celulóides antiquissimos dos anos 70 ainda dão um trabalhão! Paraguai conseguiu se classificar.
Poderia optar por duas Argentinas, mas falou mais forte ainda o exemplar em duas faixas, vice-campeã, do ano passado. Ainda quero testar na mesa. A outra é da série Ouro de 50mm em celulóide importado também.
A Argentina quer esquecer o ano de 2016 que perdeu para a Alemanha Ocidental nos penais, aliás, a antiga RFA não conseguiu vaga.
Olham o Peru da Copa de 82 da Champion, único representante da USA Sports, já que a Turquia não alcançou posto.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Catálogo da Jucrake - os Crakes

Enviado pelo amigo de Itajubá, Caio Lopes, o nosso mais recente entrevistado. Muito obrigado, Caio! Para os botonistas que prezam a verdade dos fatos, assim como eu, vejam o que acabou com o futebol de botão da Estrela, Brianezi, entre outros. Na verdade o clube dos 'Treze', os maiores do país, acabaram, juntamente com a febre dos 'games' por destruir a brincadeira entre a garotada. Muitos fabricantes se sacrificam até hoje como o Sr. Armando da Jucrake, de Campinas, para produzir nossos guerreiros e os próprios clubes afundaram a diversão, pois, ao contrário de tudo isso, ainda teríamos a Brianezi no mercado, a Sportec entre outras.
Te agradeço de coração, Caio pelo envio do material, mais um valioso documento para a história do Futmesa. E, pode ter certeza, que quem lê Botões para Sempre já não é mais otário, sustentando gente que quer se aproveitar de nosso sentimentalismo. Mas quem gosta de compartilhar com os 'urubus', continuem. E tem colecionador que adora compartilhar com o errado, com preços que custam mais caro que um profissional de medicina que cobra uma consulta médica particular. Isso para mim é um verdadeiro abismo, absurdo, picaretagem da mais sem vergonhice. O cara estuda mais de 10 anos para lidar com a vida, com a saúde do ser humano, e no outro lado, está o 'rato' atrás de celular esperando um monte de $$ entrar na continha bancária no Mercado Negro, por uma quinquilharia, um brinquedo antigo de 1970 de sei lá quantos centavos o cara comprou em algum lixão por aí, Inacreditável.
 Como disse anteriormente, o blog está dando uma repaginada geral. É FAXINA MESMO. 
E vamos continuar denunciando e falando a verdade dos fatos, doa a quem doer. Daqui pra frente, vamos priorizar o lado do BEM, de pessoas que cultuam o esporte com caráter e honestidade. Pois a palavra Humildade não existe em muita gente que conheci. Portanto, o mundo está mudando, a faxina está sendo feita. E, no colecionismo, é o mesmo processo. Parabéns, Caio, Alexandre Badolato, José Márcio, do PR, João Carrieri, David Vaz, Marco Bianchi, Daniel, Guilherme Nascimento, José Mauro, os pesquisadores e colegas jornalistas André Pereira, Rodolfo Stella, e tantos outros das últimas entrevistas que ajudam e continuam de forma humana a construir e abastecer o blog, a nossa Enciclopédia do Futmesa para crescer cada vez mais.
Seleções de 2010 da Crakes
Esse foi o time mais emblemático que comprei numa loja no começo de 1990, quando estava passando do ginásio para o colegial: o Dínamo de Bucareste, da Romênia, da Crakes, que ainda dá trabalho para os Gigantes da Champions.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Futebol de Mesa: arte, terapia e divertimento na vida de Caio Lopes

Botões para Sempre teve a honra de conhecer mais um colecionador do BEM. Nesta entrevista exclusiva ao blog, o santista Caio Lopes, 42 anos, engenheiro eletricista e residente em Itajubá, no sul de Minas Gerais, nos conta sobre sua eterna paixão pelo nosso 'velho' futebol de botão. Sua coleção é composta por cerca de 150 times, muitos originais e preservados em suas caixinhas, até, pasmem, com a etiqueta da data de compra!
O botonista sente recordações de infância, das lojinhas de esportes que se deparava com prateleiras lotadas dos Brianezi, sobretudo, em Santos, onde residiu por muito tempo. Neto de calabreses e santista fanático, Caio joga campeonatos de forma 'solitária' e com amigos.
Os campeonatos de Botões para Sempre o contagiaram e revela de forma contundente: "Infelizmente, em muitos casos, os preços de botões antigos que encontramos na net são absurdos. Estou fechado, com você, meu caro Bucci, nessa cruzada contra todos estes exploradores". Por fim, vamos conhecer também o lado do fabricante Caio, que compra de forma honesta lentes originais de fabricantes, especialmente do Sr. Armando, da Jucrake (da marca Crakes) e se diverte com os times que são gerados, motivado pela pesquisa da história das equipes, dos seus escudos e uniformes.
por Ricardo Bucci, jornalista MTB 28.445
Coleção repleta dos famosos Brianezi
Placas de publicidade, um verdadeiro estádio feito com carinho e maestria. Parabéns, Caio!
Reparem a etiqueta com a data na embalagem dos Brianezi. Relíquia total. A curiosidade é que este Ceará foi comprado no mesmo dia de aniversário do botonista Caio Lopes.
O Vovô do Nordeste, da Brianezi, com escudos em 'decalcomania', os mesmos das primeiras edições.
Botões semi-flexíveis, feitos durante apenas três anos, difíceis de serem achados, entre 1987-1989
O francês Saint-Étienne
O glorioso Dínamo de Kiev, o gigante esquadrão do Leste!
1- Botões para Sempre: De onde surgiu a paixão pelo futmesa?
Caio Lopes: Devo essa paixão ao meu Tio Sílvio Jr. Durante a infância, ele me apresentou os primeiros times e me ensinou as regras. Isso no final dos anos 70. Jogávamos em mesas improvisadas. Era uma delícia. Depois meu irmão foi contaminado pelo vírus do Futebol de Botão.

2- BPS: Quais foram os primeiros times que aportaram em sua casa?
CL: Sou santista fanático. Lembro muito bem quando fui a Vila Belmiro pela primeira vez, levado por meu falecido e saudoso avô. Ganhamos do Joinville por 2 a 0. De certa forma, minha paixão alvinegra foi contaminada e surgiram dois times do Peixe. Um destes era em celulóide flexível que meu tio me presenteou, que, até hoje, não sei o seu fabricante. Não me lembro como, porém tinha alguns outros da Brianezi daquela fase com as 'duas faixas' laterais, confeccionados em acetato de celulóide que a fábrica importava do Japão. Eram Londrina/PR, Internacional/RS e a seleção de Portugal. Cometi a heresia de desmanchá-los e montar outras agremiações. Uma curiosidade é que admirava mais os times feitos com apenas 'escudo e número' do que os de 'carinhas', por exemplo. Também tenho recordações de dois exemplares da fábrica do Itaim Bibi, a Sportec, com apenas uma faixinha que eram o Porto-POR e Nothingham Forest - ING (bicampeão da Champions League de 78-79 e 79-80) e que o saudoso Guilherme Biscasse da antiga marca CRAK´S também o produziu.
O Santos de celulóide flexível. Caio, como te disse, existiam fabricantes que eram verdadeiros artesãos dos botões, até antes dos Brianezi. Luiz Gonçalves, que tinha loja numa galeria da 24 de maio, foi um dos percursores no estilo 'tampa' de relógio, entre outros até que desconhecemos por completo. Este exemplar do Santos mede exatos 46mm, qualquer informação é válida para descobrirmos o fabricante do alvinegro praiano de Caio Lopes.
Os botões Crakes recém-chegados para sua coleção. Vieram de Campinas, da fábrica Crakes, que Caio compra diretamente com o Sr. Armando, diretor da Jucrake.

 3- BPS: Você pratica o esporte ou apenas coleciona?
CL: Atualmente conto com cerca de 150 times e seleções de marcas como Brianezi, Champion/USA Sports, CRAK´S, os novos Crakes de Campinas, Ki-Gol, dos filhos do Guilherme, Dallas e outros feitos artesanalmente pelo Luciano dos Botões Clássicos e do Futebol de Botão Retrô. A coleção inclui alguns exemplares argolados (Edú Botões). Gosto tanto de colecionar e jogar campeonatos, tanto sozinho ou com amigos também.

4- BPS: Qual a marca preferida de todos os tempos, em sua visão?
CL: Sem dúvida foi a Brianezi, o clássico dos clássicos! Mas gosto muito de outros fabricantes que viraram seus concorrentes, de certa forma, como a antiga CRAK`S, depois com os Crakes (da empresa Jucrake) e Ki-Gol.
O argentino Rosário Central da Brianezi e os raros Ki-Gol do interior do Paraná: União Bandeirante e Pato Branco
Os Ki-Gol, da fabrica Futmesagol, atualmente tocado pelo filho do Guilherme, Lennon Biscasse, que começaram em 1989. A antiga Crak´s, da mesma firma, começou bem antes, um pouco depois da Brianezi, na primeira metade dos anos 70, criada pelo saudoso Guilherme que foi um dos maiores botonistas brasileiros.
5- BPS: Você faz e monta os botões também?
CL: Quando voltei a jogar o futmesa, após um segundo hiato, comecei a pesquisar fabricantes e tutoriais. Aos poucos e com a ajuda de outros botonistas, dei início a montagem de meus próprios times e me divirto muito. Seja pesquisando a histórias das equipes, seus emblemas antigos e atuais e os diversos uniformes.
A dupla de Campina Grande/PB: o Treze e o Campinense feitos com a arte de Caio Lopes
 6- BPS: Quais times de botões que considera os mais marcantes de sua coleção?
CL: Gosto muito do Santos FC com o 'escudo e número' (preto), o Brasil de Pelotas/RS (primeiro time que montei), além da seleção da Dinamarca (Crak´s) e do Milan da terceira edição da Brianezi, com faixas para cima e para baixo. Comprei muitos desses modelos entre 1988-89. Também adoro a seleção de Másters do Brasil, da Crak´s.
7- BPS: Sobre os atuais preços do mercado de antiguidades de botões antigos, o que você acha?
CL: Infelizmente, em muitos casos, os preços são um verdadeiro absurdo. Estou fechado com você nessa cruzada contra os exploradores!

8- BPS: Suas considerações finais.
CL: Um fato interessante ocorreu em 1988, quando cursava a oitava série. Estava mais jogando botão do que estudando...Aí meu pai preventivamente confiscou minha coleção até eu recuperar as notas (rs). Em 1990, no dia da abertura do Mundial da Copa da Itália, comprei uma mesa oficial Brianezi. Enquanto assistia Camarões surpreender a então campeã de 86, a Argentina, jogava botão com amigos na sala de casa. Bons tempos! Como informação atual, hoje tenho uma mesa oficial feita pela Edú Botões.

Nota de Botões para Sempre
Caio, muito obrigado pela generosidade de conceder esta brilhante entrevista, respondida com muita sinceridade, humildade e um coração fraterno. Pode ter certeza que priorizo isso, em primeiro lugar está o caráter do ser humano. Quem se acha DEUS nesse mundo, seja no botão ou em figurinha, esqueça, que aqui não terá espaço mais. Sua história tem muitas semelhanças com a minha. Durante o ginásio, curtíamos o futmesa comprando vários jogos ao lado do Eldorado da Rua Pamplona. Eram pilhas expostas de Brianezi, também do fim dos anos 80, diria mais precisamente em 1989, quando Lúcio Brianezi optou por tirar todas as faixas e inserir a arte de camisa dos clubes. Outra curiosidade diz respeito sobre a mesa Brianezi, a primeira que surgiu em casa foi justamente também em julho de 1989, tenho até anotado o dia (19) em uma folha avulsa que guardo dentro de um caderno antigo de anotações botonísticas que preservo desde criança.
Por fim, Caio, muito obrigado pelos times que ganharei recentemente do amigo, em breve no blog vamos mostrar as histórias de mais um time clássico italiano, que mesmo apesar de estar afastado muito tempo da série A, tem uma história brilhante e de um time nordestino que, quando era criança, tinha um carinho todo especial, por causa de minha camisa antiga. Vamos que vamos, até breve com seus times que entrarão para a coleção de Botões para Sempre!
Muito obrigado, um abraço fraterno, que DEUS te ilumine sempre e sua família,
De coração, Bucci

domingo, 18 de junho de 2017

Forza Venezia! Uma das pérolas do Calcio Italiano - Diretamente da 'Rainha do Adriático'

Agradecimento especial ao amigo João Carrieri, botonista e fabricante de botões, que me presenteou nas vésperas de meu aniversário com este maravilhoso exemplar original de lentes Crakes, fábrica de Campinas, desde 1989 no mercado, com uma arte simplesmente genial, diria 'fantástica', como dizia meu saudoso amigo italiano Giovanni Bruno, o mais respeitado e admirado chef de cozinha que nosso país já teve.
Estudamos juntos minuciosamente a arte, que foi elaborada magistralmente por Carrieri, lembrando a camisa do time veneziano quando disputava a divisão máxima do Calcio.
O time da região do Vêneto chegou a disputar diversas vezes a série A do Calcio. Tanto que meu irmão mais velho visitou a cidade nos fins dos anos 90 e o Venezia estava 'firme e forte' na Liga com os gigantes Milan, Juventus etc. O estádio (super antigo), com arquibancadas ainda em madeira, em meio ao Adriático, ficou muito registrado na memória dele. O recém-chegado italiano na coleção de 'Botões para Sempre' é em homenagem ao meu irmão, que ficou muito fascinado com as cores da agremiação.
Portanto, seja bem-vindo Venezia e muito obrigado Carrieri! Seus times fazem sucesso, por várias razões. Explico: uma pela sua humildade, caráter, honestidade e generosidade, mistura-se a isso sua educação, que vem de berço e, terceiro, que você visa em primeiro lugar o divertimento/satisfação dos amigos botonistas, em detrimento de outros fatores.
Por isso que Você é exemplo do BEM nesse mercado difícil de colecionismo.
Um abraço fraterno, Bucci
Quando se fala em Venezia, logo vem à mente os românticos canais que atravessam a pantanosa cidade do Nordeste da Itália, a nossa querida 'Velha Bota'. Lá, é possível passear pelas gôndolas, passando sob as charmosas pontes que compõem um dos mais lindos cenários do Planeta Terra. 
Praça de São Marcos em 1697
Um pouco da História
Fundado em 1907 como Venezia Foot Ball Club, alcançou seu melhor momento com a conquista da Copa da Itália de 1940-41, tendo como destaques Loik e Valentino Mazzola, que tornariam-se os principais nomes do Grande Torino entre 1942 e 1949. Na temporada 1990-91, mudou de nome pela primeira vez, passando a se chamar Associazione Calcio Venezia 1907. Em decorrência de problemas financeiros, o time que havia caído para a série B em 2005, foi expulso da competição no mesmo ano. Refundado como Societá Sportiva Calcio Venezia, disputou a série C2, sendo promovido à C1 em 2006. Ao final da Lega Pro Prima Divisione de 2008-09, os problemas financeiros do Venezia se agravaram ainda mais e a Federação Italiana de Futebol não teve outra alternativa a não ser expulsá-lo da competição, remanejando para a Série D (depois renomeou-se como Foot Ball Club Unione Venezia), onde permaneceu até a temporada 2011-2012. Hoje o time tem como nome Venezia Football Club.
O seu escudo atual adotado a partir de 2015

Escudos antigos

2014-2015
1990´s
1960-61
64-65
65-66
70-71
57-58
61-62
70/80
84-85

Futuro promissor
De volta a Liga Pro (série C) dividida em três grupos de regiões: Central, Norte e Sul, o time sob o comando do técnico Insaghi, ex jogador, conquistou em 2016-2017 o acesso novamente para a série B em 2017-2018, depois de 12 anos fora dela.
Forza e boa sorte ao grande selecionado vêneto! de volta para a B!
Sob o comando do ex-jogador Insaghi (foto) a 'Rainha do Adriático' volta com tudo na série B em 2018!

O antigo uniforme
Era composto por camisa azul-marinho, com detalhes na cor vermelha, calção azul-marinho e meias da mesma cor, idêntico ao do Genoa. Atualmente tem cores oficiais o verde, o laranja e o preto.
Escolhemos este uniforme da temporada de 1998-99 para a CONFECÇÃO DO LINDO TIME DE BOTÃO!
1999 quando militava na série A com a arte de David Ribeiro

Numa época de seus ídolos, o uruguaio Recoba ao lado do Fenômeno
1967 e Pedro Manfredini: uma lenda do Venezia FC
Campeão da Copa Itália anos 40
1956-57
1962
1966-67
1973-74
1980
1983-84
1984
85-86
1986-87
Ainda no fim dos anos 80
E quantas mudanças no uniforme: aqui em 1970 

O estádio: Um dos mais antigos da 'Bota'
Seu estádio é o Pierluigi Penzo, um dos mais antigos da Itália, fundado em 1913, com capacidade para quase 10 mil lugares.

Títulos
Campeonato Italiano de Futebol C1: 1935-36 / 1955-56
Copa da Itália: 1940-41
Campeonato Italiano da Série B: 1960/61 / 1965-66
Campeonato Italiano da Série C2: 2005-2006
Copa Itália Lega Pro: 2016-2017
Série D: 2011-2012

LINKS:

TRABALHO FANTÁSTICO do fabricante Carrieri, reconhecido COM UM DOS MELHORES NO ATUAL MERCADO Virtual:

Loja Virtual de Carrieri
http://perfil.mercadolivre.com.br/CARRIERI_JOAO

Futebol de Botão no estilo CRAKES
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-864198176-futebol-de-boto-estilo-crakes-_JM

Botões no estilo 'duas faixas' da Brianezi: sem dúvida, muito elogiado e admirado por muita gente
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-864202439-futebol-de-boto-estilo-brianezi-2-faixas-_JM