Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

domingo, 31 de julho de 2011

Associação Atlética Francana (SP) 1978

Olá, amigos colecionadores! Hoje trago a Francana, versão carinhas, 1978. Aproveito para mostrar imagens antigas e históricas da "Feiticeira", quando o ex-goleiro Geninho jogou por lá. Abraços a todos,
1977
 1958
 1964
 1966
 1982

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Entrevista: André do Nascimento Pereira

Futebol de Botão: “Imaginação em estado mais puro”


Botões para Sempre apresenta no canal de Entrevistas, um papo com o jornalista André do Nascimento Pereira, paulistano, 39 anos, que desde pequeno coleciona mais de 600 times de botão. Aqui ele mostra suas relíquias antigas, o contato e a amizade com os fabricantes e sua paixão na arte do colecionismo.

Por Ricardo Bucci

Botões para Sempre
André, gostaria que você nos contasse quando e como começou a arte de colecionar botões?

André Pereira
Com o auxílio dos meus pais, já que se tratava inicialmente de um brinquedo muito barato. Comecei adquirindo em bancas de jornais aqueles modelos bem mais simples de plástico colorido ou transparentes, vendidos individualmente em envelopes, como os de figurinhas, ou de acrílico (times completos, como os tradicionais da marca Canindé, Estrela e Gulliver), sem contar que sempre tive interesse em organizar pequenos campeonatos particulares. Já gostava muito de futebol, com certeza uma paixão para toda a vida, e ali naqueles botões havia uma particular conexão entre a realidade e fantasia existente nesse esporte. Tinha 4 anos (1976) e me lembro de voltar da escola a pé e passar mais devagar para admirá-los pendurados, na banca da Rua Monte Alegre, diante da PUC-SP. Eram São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Santos, Portuguesa de Desportos, Flamengo, Fluminense, Vasco da Gama, Botafogo e América e, na minha imaginação, todos esperando para serem levados para a minha casa. Só não tinha ainda um campo para jogar e utilizava uma mesa de mármore que até hoje está na sala de estar aqui de casa. Somente graças a um grande e querido amigo de longa data, parceiro de inúmeros e inesquecíveis jogos, que se desfez de seu campo, é que consegui ter meu primeiro "Estrelão".

Botões para Sempre
Qual foi seu primeiro time de botão?              

André Pereira
Foram dois: São Paulo (meu time de coração) e Corinthians. Ambos de plástico transparente. Para aumentar minha alegria, ambos precisavam ser colados e numerados, por isso junto dos botões seguia uma cartela maior com os distintivos e outra bem menor, com os números de 1 a 11 na cor preta e fundo branco. Porém, não me recordo a marca.

Botões para Sempre
Quantas equipes completas de futebol de botão você tem?

André Pereira
Tenho muitos times, todos completos e bem conservados! Parei de contá-los já faz algum tempo. São mais de 600 e tem mais chegando em breve.

 Armário contendo a coleção de botões de André do Nascimento Pereira

Botões para Sempre
Enumere os fabricantes de botão que você possui e os times considerados ‘raridades’.

André Pereira.
Minha coleção abriga botões da Brianezi, que eram os meus favoritos, Crak's, Crakes (Jucrake), Sportec, Ki-Gol, Champion (USA Sport), Dallas, BFA e algo que creio ser raridade para muitos, Botãomínio (Arqmetal). Como o próprio nome dá a entender, feitos de alumínio, com uma apresentação visual belíssima, que realçava os uniformes dos times, embora pouco deslizassem nos campos de 'eucatex'. Sobre times que são raridades, isso é mais uma opinião de quem conhece a coleção do que a minha pessoal. Para mim, todos são! Tenho destaques, que sempre percebi quando os utilizo. Por exemplo, o Uruguai e a Itália (ambos Brianezi da terceira geração) são maravilhosos de se jogar, pois encobrem qualquer goleiro com muita facilidade e precisão. Outros, porém, preferem minha Holanda (Brianezi da Terceira geração), pela belíssima pintura laranja em degradê. O mesmo vale para o Bayern München-ALE e Nacional-URU, da mesma empresa e fase. Também possuo uma Udinese branca (antiga Crak's), com o "Z" de Zico no distintivo, que o clube italiano estampou quando da contratação do "Galinho" em 1983. É muito bonito! E muito cobiçado por amigos... Como o são Cosmos, a Seleção da França e o Bangu - que o Zé Farah (presidente da Federação Paulista de Futebol de Mesa) já até estampou em seu blog Coleção de Botões. Os próprios Palmeiras e Grêmio, da Botãomínio, se encaixam bem nesse perfil citado. Mas, qualquer time da Brianezi, independente da época (de primeira até a quarta geração), desde o fechamento da fábrica, merece a expressão "raridade".

Na coleção de André, podemos encontrar o EINTRACHT BRAUNSCHWEIG, Alemanha, da Brianezi, anos 80

Itália, da Brianezi
 Antiga URSS, da Brianezi
New York Cosmos, da antiga Crak´s
O raro time da Udinese, da Itália, da Crak´s.

Botões para Sempre
Na sua visão, quais são os melhores fabricantes de botão?


André Pereira
Isso passa mais por gosto ou adaptação de cada botonista do que por uma verdade absoluta. Sou da geração que cresceu jogando e venera quase cegamente a marca Brianezi, embora reconheça que vez ou outra, um ou mais botões dentro da caixinha vinha deformado ou irregular. Outros destaques: a Sportec, que possuía um excelente botão, embora mais baixinho do que o Brianezi e a antiga Crak's, de mesma excelência, embora utilizasse um diâmetro maior nos artefatos do que seus concorrentes. Agora, para quem compete oficialmente, nenhum desses mencionados acima satisfaz. Eles preferem os modelos artesanais que podem ser botões fechados ou do tipo argola. Também os possuo em minha coleção e são muito bons, sem dúvida, mas perdem um pouco da graça por diferirem de tamanhos defensores e atacantes. Só tenho restrição a uma fabricante e não pela qualidade, mas por atender indiretamente aos interesses econômicos dos clubes de futebol, com a utilização de réplicas com o próprio nome da marca, ao invés do correto distintivo. A Klopf. Eles deveriam mostrar firmeza, virar as costas para quem lhes censura a produção do que é certo e atender com maior interesse e atenção outros que permitem a perfeita divulgação de seu escudo.

Botões para Sempre
Fale um pouco de sua ligação com a antiga Brianezi.

André Pereira
Meu primeiro Brianezi foi ganho de amigo secreto em 1981. Tinha pedido o América - RJ na lista, porém, meu 'tio', Roberto Duílio Pierotti Miguel, não o encontrou e me presenteou com um Fluminense – RJ (branco, com números e as duas listras em verde), que não o tenho mais. Depois, em muitas idas e vindas nas lojas Sport Spada, Rica Sports, departamento de Artigos Esportivos do antigo Jumbo-Eletro, além de Center Sport e A Esportista fui aos poucos conseguindo ampliar a coleção entre os anos 80 e 90. Outra história interessante foi poder comprar alguns botões na própria sede, na Avenida Álvaro Ramos, 924/930 (Belenzinho), das mãos do próprio Lucio Brianezi (proprietário da fábrica), e conhecer a empresa. Meu tio, Abílio de Barros Alves, teve que fazer uma visita profissional ao local. De quebra, adquiriu alguns times para me dar de presente (Seleção da Itália, XV de Piracicaba e Atlético Paranaense). Fiquei radiante com a história dele e surpreso porque junto dos times veio um recado e um número de telefone (que era diferente do das caixinhas). Não deu outra liguei para lá no dia seguinte e encomendei mais 20 times, quase todos internacionais, que era o pedido mínimo possível. Todos foram recebidos em fevereiro de 1989, junto com uma espécie de folder com a listagem de 656 times fabricados pela empresa. Tornou-se o meu objetivo completar toda aquela lista (sempre torcendo para que ela aumentasse) e meus futuros presentes de aniversário passaram quase sempre a ser times de futebol de botão da Brianezi. Era o desespero de meus pais encontrá-los.
Porém, com o encerramento da linha de produção da empresa e a total impossibilidade de cumprir tal desejo, resolvi montar o catálogo desses times através de imagens na internet (Mercado Livre, Blogs e outros sites) como prêmio de consolação. Assim, de dois anos para cá, vasculho em sites de buscas as fotos de times completos ou apenas sem goleiro. Para completar minha particular ligação com a Brianezi, ainda voltei mais duas vezes ao 'santuário' de todo botonista amador ou profissional, como estudante de jornalismo em 1990 e 1991, ambas para entrevistar o Lucio para o jornalzinho da PUC-SP.

Botões para Sempre
O que você achou do encerramento da produção dos botões Brianezi?

André Pereira
Uma pena que a Brianezi, por uma tola decisão dos clubes brasileiros de futebol em relação ao direito de propriedade e utilização do símbolo, tenha sido obrigada a sair do mercado por não poder pagar o valor mínimo exigido sem que houvesse o devido repasse do tal custo aos seus clientes. Essa decisão ainda custará caro a eles mesmos no futuro, pois não sabem explorar o marketing com a devida atenção, e irão ver crianças cada vez mais se distanciar de seus logos e marcas para usarem a de times internacionais, mais ricos e competentes nessa área. Grande bola fora!

Botões para Sempre
Hoje quais são as alternativas no mercado para os colecionadores que queiram adquirir times de fabricantes?


André Pereira
Hoje temos poucos fabricantes conhecidos que traduzem essa qualidade e experiência das antigas marcas. Uso e recomendo a marca Dallas e os botões da BFA Store. Estas empresas até me permitem regalias como dar alguns ‘pitacos’, quando da elaboração das artes de alguns pedidos meus ou alheios. Nesse meio, não há como não criar uma relação mais próxima com quem vende sendo um colecionador pelo futebol de botão.
Cardiff City, do País de Gales, da Dallas, nova aquisição do colecionador André do Nascimento Pereira

Botões para Sempre
Você acha que o futebol de botão é uma atividade mais destinada a saudosistas?


André Pereira
Não! É destinada a qualquer um que viva uma intensa e prazerosa relação de amor com o futebol, com seus ídolos, e que por isso só quer ter a oportunidade ou o poder de conduzir esses mesmos jogadores segundo o seu singular ponto-de-vista. Somos um tipo de técnico frustrado, que se completa e se realiza plenamente quando de posse de uma palheta para mover 11 ou 22 destinos. Num instante nos transportamos para a ficção, como se ela fosse a perfeita realidade. Imaginação em estado mais puro! Podemos até nos ater a times e craques do passado, mas isso é muito mais um reflexo da memória, seja da infância, seja da adolescência, quando nossos heróis são mais vencedores do que nunca, do que uma busca consciente de que o futebol de tempos idos era melhor.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ferroviário Atlético Clube (CE) 1979/1988

Olá, amigos colecionadores! Hoje trago o Ferrim, versão carinhas. Aproveito para mostrar fotos antigas e históricas do "Tubarão da Barra". Abraços a todos,
1938
 1945
 1950

 1952
 1969
1969. Ferroviário. A partir da esquerda (em pé): Ribeiro, Luís Paes, George, Wilson Cruz, Roberto e Coca-Cola. Na mesma ordem (agachados): Fernando Consul, Uriel, Alcir, Edmar e Léo. Detalhes: George também brilhou Ceará e na Seleção Cearense. Edmar foi um dos maiores campeões do futebol cearense. Ribeiro foi campeão cearense pelo América em 1966. (Colaboração de Elcias Ferreira).
 Anos 1970
Década de 1970. Ferroviário Atlético Clube. A partir da esquerda (em pé): Breno, Luís Paes, Simplício, Gomes e Louro. Na mesma ordem (agachados): Mano, Paulo Veloso, Facó, Edmar e Fernando Cônsul. (Acervo de Elcias Ferreira).
 1965
 1970
 1979 Pôster em alta resolução
 1988
 fotos: Placar e www.ferrao.com.br / Coluna Tom Barros/DN
 

terça-feira, 26 de julho de 2011

Real Madrid Club de Fútbol - Espanha

Olá, amigos colecionadores! Hoje mostro o Real Madrid, da Crakes, anos 90. Aproveito para mostrar fotos antigas e históricas que mostram o passado de glórias do time espanhol. Abraços a todos,
1905

 1920
 1956
 1957
 1958
 1959
 1960 (pôster em alta resolução) Mundial c/ Puskas
1966
 1974-75
 1975-76
 1984-85

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Seleção do Uruguai - Pôster da Copa América 2011

Olá, amigos colecionadores! Botões para Sempre presta uma homenagem ao Uruguai, legítimo campeão da Copa América 2011. Aproveito para mostrar o time da Crakes, anos 90, além de fotos antigas e históricas e o pôster da Copa América. Abraços a todos,
1930
 1930
 1930
 1950
 Uruguai e Brasil 1950. Maracanã
 1950

 1950
 2010
 Pôster da COPA AMÉRICA 2011 foto: Agência EFE
Lugano