Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Escudos e times raros: Os que deixaram de existir

É parece mesmo que o Clube do Remo adotou o Maracanã como sua segunda casa. Depois de perder na partida de ida, no Mangueirão, pelo placar de 2 a 1 frente ao Botafogo, pela Recopa Sul-Americana, o time 'Leão Azul' deu o troco no Maraca e venceu por 3 a 2. Assim conquistou mais um título em apenas uma semana. De quebra, o time já acumula dois títulos internacionais: Sul-Americana e Recopa. Para o Botafogo ainda resta fechar o ano com chave de ouro: já que em dezembro fará a partida da 'Final Intercontinental', no Japão, contra o campeão da Champions League - a ser disputado.

Botões para Sempre traz hoje uma pequisa que realizei no meu excelente livro 'A História Ilustrada do Futebol Brasileiro", editada em 04 volumes, de 1968. Trago abaixo uma pequena história de alguns times que já foram extintos bem antigamente no Estado de São Paulo e no RJ. Ilustro a postagem também com uma lista de escudos raros do antigo futebol paulista.

Os que deixaram de existir...

O futebol brasileiro de hoje, não conta mais com a presença de muitos clubes que concorreram para o seu desenvolvimento, e que, possuindo bons times, haviam conseguido se projetar tanto no âmbito nacional como no internacional. O Paissandu, com suas camisas extravagantes e jogadores de chapéu, chegou a ser campeão carioca em 1912; o Esporte Clube Americano, de Santos, conquistou dois títulos paulistas e jogou no exterior; o São Paulo Athletic, com seu time de ingleses posando para os fotógrafos nas escadas da sede do clube, foi o primeiro tricampeão paulista, e ainda ganhou um novo título da Cidade em 1911; e o Clube Atlético Paulistano, que tinha uma grande torcida, integrada também pelos guardas encarregados do policiamento dos campos, sagrou-se 11 vezes campeão, até que seus dirigentes, em 1929, extinguiram sua seção de futebol.
A lista, porém, é maior. Dos cinco clubes que disputaram o primeiro Campeonato Paulista, em 1902, não existe mais nenhum em atividade - Esporte Clube Germânia, Associação Atlética Makenzie, Esporte Clube Internacional e os dois já citados, São Paulo Athletic e Paulistano. Outro clube extinto, incluído no Campeonato Paulista de 1904, é a Associação Atlética das Palmeiras, que nada tem a ver com o Palmeiras de hoje, e sim com o São Paulo Futebol Clube, fundado em 1930.
As crises internas, brigas com as entidades dirigentes e os problemas financeiros foram, entre outros, os principais motivos que levaram estes clubes a fecharem suas portas, ou simplesmente acabarem com seus times de futebol. Dentre os pioneiros, que se mantém até hoje em atividade constante, estão o Esporte Clube Rio Grande, do Rio Grande do Sul - o mais antigo clube do futebol do Brasil hoje em dia - e o Fluminense, do Rio de Janeiro, fundado quatro anos antes do primeiro Campeonato Carioca.
Fonte: A História Ilustrada do Futebol Brasileiro (1968). Segundo volume.
Escudos raros de alguns times extintos em SP
Fonte da foto: Campeões do Futebol; Almanaque do Futebol Paulista e site Futebol Nacional

terça-feira, 28 de abril de 2015

Meus campeonatos: Definição da Sul-Americana

Um verdadeiro sucesso a I Copa Sul-Americana de Futebol de Botão, de 'Botões para Sempre'. A velha rivalidade entre Brasil e Argentina esteve presente nesta primeira edição, com apenas 08 participantes. O blog festeja o primeiro título do Clube do Remo, na mesa. Curiosamente foi o primeiro time que aparecia em minha casa nos idos de 1976-77, adquirido pelo meu querido irmão, na antiga cidade de São Paulo. Naqueles idos fervilhavam os botões Brianezi em todas as lojas de esportes, sejam elas, de shoppings, magazines e pequenos estabelecimentos de artigos esportivos.
A competição foi marcada também pelo melhor jogo do ano, até então. Vasco e Remo fizeram no Maracanã uma partida épica. Grandes lances de ambas as equipes. O Vasco saiu invicto do torneio e teve uma bola, nos segundos finais, defendida pelo goleiro Dico, do Remo, grande ídolo do Leão Azul em 1977. Que lance! O Vasco teve seu dia de 'Maracanazo', mas saiu de cabeça erguida. Em breve teremos as duas disputas da Recopa Sul-Americana entre Remo e Botafogo, ambos Brianezi.

A campanha
1ª fase
Remo 3 x 1 Racing
Vasco 1 x 1 Remo
Remo 1 x 1 Calouros do Ar
Racing 0 x 0 Remo
Remo 2 x 3 Vasco
Calouros 0 x 2 Remo
Semi-finais
Remo 1 x 0 Vélez
Vélez 2 x 1 Remo
Final
Remo 0 x 0 Vasco
Vasco 2 x 2 Remo
A grande final no Maracanã: ao fundo, o mascote Fuleco com a medalha "Honra ao Mérito", dos anos 80
A cor em que a família Brianezi se utilizou neste time é algo simplesmente magistral. Um registro fiel das cores originais do "Leão Azul" do Pará, o Clube do Remo.
by Alessandro, do 'Tribuna do Botão'

A 'Patativa do Agreste', o histórico Central de Caruaru, da Brianezi, brilhando no terceiro lugar da Copa Sul-Americana
O Vélez, da Argentina, da Brianezi 4ª fase, ficou na quarta colocação
Os participantes do primeiro torneio

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Lembranças da Copa 1982 - Aperitivo para o Mundial de Futebol de Botão

Botões para Sempre relembra alguns momentos mágicos desta Copa do Mundo que na minha humilde visão foi a mais histórica e brilhante edição de Mundiais. Em plena infância ficava fascinado com as jogadas incríveis de Zico, meu maior ídolo do futebol que vi jogar, o saudoso Dr. Sócrates, Falcão, Júnior, Platini, Blokhin, Lato, Tardelli, Maradona, Boniek, Jean-Marie Pfaff, Bruno Conti, Tigana, Dasayev, Sounnes, entre muitos outros. Na TV um bonequinho que acompanhava a delegação brasileira, o Pacheco 'Camisa 12', encantava as crianças. Tinha apenas 7 anos. O álbum Ping Pong de 1982 fazia sucesso nos colégios. O meu maior sonho era conseguir completá-lo. Dito e feito. Na época, com uma troca com um amiguinho de meu prédio, o álbum estava presente em minha coleção 'para sempre'. Com a proximidade das Eliminatórias de minha 'Copa do Mundo de Futebol de Botão', o blog mostra abaixo todos os 24 esquadrões que fizeram parte daquele saudoso mundial.
A 'Azurra', a querida Itália de meus saudosos bisavôs e bisavós campeã. Partida contra a Argentina.
A Itália da Brianezi, com arte da camisa do Mundial de 1990

A inesquecível seleção brasileira comandada pelo Mestre Telê Santana. Aqui vemos a partida em que a seleção canarinho goleou a estreante Nova Zelândia, em Sevilla.
Pacheco
A extinta seleção da Iugoslávia. Um bom time que ficou de fora da segunda fase. O goleiro Pantelic era tido como o meu goleiro favorito de meus torneios de botão, durante a infância. Colocado em botões e goleiros gulliver, narrava os jogos com emoção durante toda a minha infância.
A seleção de Honduras em 82.
A ótima seleção da Inglaterra que saiu invicta naquele Mundial de 82. Jogadores talentosos como Mariner, Robson e o goleiraço Shilton.
arte hungary de 82 - England
A seleção do Kuwait de 82 comandada pelo brasileiro Carlos Alberto Parreira.
A Áustria de Prohaska e Koncilia.
A perigosa seleção de Camarões
A seleção da Argélia deu um trabalhão: venceu a toda poderosa Alemanha

A surpreendente seleção da Irlanda do Norte do goleiraço Jennings e do jogador mais novo ao estrear em Copas, Norman Whiteside.
A rara seleção da Irlanda do Norte da Ki-Gol: participará da primeira eliminatória de 'Botões para Sempre'

A boa seleção escocesa de Dalglish e Sounnes.
A Espanha do álbum Ping Pong de 82
A Nova Zelândia de 82
A seleção de El Salvador que até hoje sofreu a maior goleada na história das Copas: 10 a 1 contra a Hungria

O Peru, de Barbadillo, do álbum Ping Pong 82

O Chile de 1982

A Hungria de Fazekas de 1982.
A URSS do melhor goleiro da Copa, Dasayev.
A CCCP da Brianezi, do fim dos anos 80

A Tchecoslováquia de 82 dos ídolos Panenka (campeão da UEFA Euro de 76) e Nehoda. Arte by David Ribeiro, do álbum Ping Pong
Argentina de Maradona e Kempes
Abertura entre Bélgica 1 x 0 Argentina
Festa de abertura. Saudades e lembranças!
A seleção alemã de 82
A seleção francesa de 82. Platini, Tigana, Six, grandes jogadores. Uma final que todos esperavam: Brasil e França
A seleção belga contra a Polônia.
A Polônia de Lato e Boniek: um grande esquadrão do Leste Europeu
A Polônia antiqüíssima produzida pela Brianezi no final dos anos 70. Vai tentar seu título no Mundial de 'Botões para Sempre'.

domingo, 26 de abril de 2015

Meus campeonatos: Histórico 'Máster' Série A

O primeiro campeonato brasileiro intitulado 'Máster' da série A foi realizado em 2010. O referido torneio é em homenagem aos primeiros campeonatos que realizei durante a infância, com equipes da 'Gulliver Carinhas' de 1977. A série chamava-se 'Grandes times do futebol brasileiro'. O primeiro clube a se tornar campeão foi a Ponte Preta, no fim de 2010. Curiosamente foi a primeira equipe Gulliver 'carinhas' que aparecia em minha casa, juntamente com o Corinthians, no auge da disputa do Paulistão de 1977. Hoje o campeonato se diversificou e temos atualmente 32 clubes, com apenas artes de 'carinhas' em botões Gulliver. O campeonato mescla com equipes originais de 1977 e também agremiações de várias regiões do país que foram confeccionadas sobretudo pelo mestre Alessandro, do 'Tribuna do Botão', a primeira pessoa que conheci no universo do botonismo, depois de um grande hiato sem torneios.

Histórico

Ano                  Campeão                 Vice-campeão               Marca
2010                Ponte Preta               Internacional                 Gulliver 77
2011                Internacional             São Paulo                      Gulliver 77
2012               Flamengo                  Atlético - MG                Gulliver 77
2013               Corinthians               Flamengo                       Gulliver 78/77
2014               Internacional             São Paulo                      Gulliver 77
2015               Internacional             Palmeiras                       Gulliver 77/78
2016               Santos                      Inter                               Gulliver 77
Ranking de campeões:
1- Internacional (RS): 3 títulos
2- Santos, Ponte Preta, Flamengo e Corinthians (1 título, cada)
A Ponte Preta original da Gulliver de 1977 que sagrou-se campeã em 2010
O Inter-RS, original de 1977, Gulliver, que possui o maior número de conquistas: 03 títulos
1973, by arte hungary
O Flamengo, original da Gulliver de 77, campeão 'Máster' de 2012
O menino Zico, foto acima, em 1971


Um dos primeiros botões da série Gulliver de 1977, bem desgastados com o tempo, mas ainda jogam um bolão, como o mestre Luisinho do Internacional - RS
Uma das mais recentes aquisições de originais da Gulliver: o Vasco da Gama, de 1977
Vejam esta linda imagem dos anos 60 de meu arquivo particular de livros e enciclopédias do futebol brasileiro: Vasco e Flamengo num Maracanã lotado de torcedores; imagem raríssima das 04 edições da 'A História Ilustrada do Futebol Brasileiro', de 1968
Arte hungary
O belíssimo Ceará de 1971 que participou do primeiro Campeonato Brasileiro de Futebol Profissional, quando o Galo Mineiro sagrou-se campeão. Arte feita especialmente para minha coleção de Alessandro, by Tribuna do Botão
O lindo time do Avaí de 1977 confeccionado pelo Alessandro: seja bem-vindo o Leão de SC na série A 'Máster' de 'Botões para Sempre' de 2015