Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Goiânia da Ki-Gol (1ª edição)

Exemplar bem difícil do Goiânia Esporte Clube, da primeira fase da Ki-Gol, começo de 1990. Como apareceu também o exemplar do Goiânia da Bolagol, resolvi que estes botões de 'tampa de relógio' da Ki-Gol irão para a mesa. Eles são bem melhores que os 'botões intitulados de brinquedos' da Bolagol para disputarem a 3ª divisão, que, aliás, segue crescendo em número de participantes de diversas marcas.
1970´s

Um depoimento de um colecionador experiente

Botões para Sempre publica um depoimento de um colecionador que, assim como eu, está cansado de presenciar absurdos 'financeiros' no meio do colecionismo. Parabéns, José, assino tudo o que você escreveu para mim e pode ter certeza que, de uma forma ou de outra, estamos ajudando e 'abrindo o olho' para outros apaixonados por botão.  
"Caro Ricardo, é uma pena que existam estes 'atravessadores' (que você bem os descreve no seu blog) no nosso meio do colecionismo, que querem se aproveitar do sentimentalismo e do interesse das pessoas em adquirir tais 'raridades', para com isso tirarem proveito da situação para enriquecerem. Só que eu também não caio mais nessa lábia desses atravessadores, pedindo mundos e fundos para venderem seus itens. É como você mesmo diz, na época que foi produzido fizeram diversos deles à preços normais, tipo 10, 20, 30 reais, no máximo, e só porque passaram 20, 30 ou 40 anos, põem os preços com correção dos diversos planos econômicos que os itens sobreviveram, ficando em 400 $, 500 $, beirando os 1.000 reais cada exemplar, seja este da Brianezi, Estrela, Bolagol, Sportec, botões de 'carinhas' ou qualquer outra marca. Isso é totalmente fora de cogitação! Mas o maior problema, ainda nos tempos de hoje, com crise e tudo mais, é que ainda existem pessoas que acabam comprando tais itens dessas pessoas, o que alimenta cada vez mais o 'MERCADO NEGRO' do colecionismo, infelizmente, para nossa infelicidade". 
JM-SP

domingo, 26 de junho de 2016

Goiânia da Bolagol - 1966/1970

O Goiânia é uma agremiação da cidade de mesmo nome, capital de Goiás, fundado no dia 05 de julho de 1938. A equipe alvinegra é a terceira com o maior número de campeonatos goianos, ou seja, conquistou 14 edições, sendo destes um pentacampeonato (1950-1954) e dois Campeonatos Goianos da Segunda Divisão (1998 e 2006). Desde de 2007 não disputa a elite do campeonato de seu Estado. O 'Galo Carijó' sempre revelou grandes jogadores na Vila Olímpica e até hoje revela vários atletas que estão espalhados por vários clubes do país.
O título de 1974 e a homenagem de 'Botões para Sempre' para o time da Bolagol recém-adquirido, na caixinha da saudosa indústria Santa Maria. Arrematado com preço justo e honesto. Todo colecionador, eu me incluo, mas antes de colecionar tais objetos tidos como 'sucata' sou botonista com orgulho, enfim, merece ser respeitado e não ser enganado. O país merece justiça, em todos os sentidos.
1950
Nesta foto extraída da Revista Sport Ilustrado, de 1941, o time posado do Goiânia com um escudo diferente dos anos 40.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Lote de Brianezi 'duas faixas'

Tem alguns grandes de 50mm intitulados 'Luxo'. A fábrica do Belenzinho realmente deixou saudades...
Em breve em 'Botões para Sempre' as fotos dos times que participarão da Copa dos EUA 2016, talvez seja a edição mais forte de Copas, com muitos Brianezi de celulóides 'duas faixas'.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

CRAK´S antiga e extinta - México - 80´s

Estes botões pertencem a marca de Guilherme Biscasse (a saudosa Crak´s, que depois foi vendida e mudada de nome) que concorriam com os Brianezi, Sportec e também os Champion, diga-se de passagem, todos estes botões no estilo 'tampa de relógio', que fizeram história nos anos 70/80. Mas para a minha Copa do Mundo dos EUA de 2016 utilizarei os botões da terceira fase da Brianezi. Todas estas marcas de botões podíamos encontrar em lojas de esportes, sejam em shoppings centers e nos bairros espalhados por São Paulo. Como disse um seguidor no blog: 'uma pena que acabaram com todos estes botões'. Verdade e concordo 100%. E digo mais e acrescento, pode deixar comigo que eu não me canso de FALAR A VERDADE, SEMPRE: Agora, só na mão de pouca gente que vende de forma honesta. Tem honestidade? Sim. É pouca, mas tem gente boa e honesta. Pois, a maioria é uma pura 'sacanagem', ou melhor uma 'bandidagem' de preços sujos e mentirosos. Cambada de aproveitadores que sonham em ganhar 'dinheiro' vendendo botão e qualquer 'sucata velha' de brinquedo antigo. Só que comigo eu deixo bem 'pobre' quem pensar em lucrar em vender botão com preço desonesto. Esta é a pura e cristalina verdade. Vamos sustentar o hobby com honestidade. Enquanto existir pessoas que pagam o que eles pedem, isto nunca vai acabar. É uma bola de neve. Não podemos mais sustentar o bolso de muitos mentirosos e 'espertinhos', vulgo 'atravessadores' de plantão. A verdade é que não é só em Brasília, nossa capital, que existe sujeira e lama. Em qualquer esquina do nosso país há podridão. E no mundo do colecionismo e no comércio também. 
Esta camisa da Penalty original dos anos 80 pertencia a minha coleção
1986

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Meus campeonatos: Algumas definições - Eliminatórias

No Continente Africano, depois de alguns anos sem participar de mundiais, a Tunísia consegue sua vaga frente ao Marrocos, ambos Crakes, anos 90. A equipe marroquina não jogou bem nas duas partidas e, fora de casa, acabou derrotada pela seleção tunisiana. Na Concacaf, 'Arriba México'!. Quase que a Jamaica estragou a festa mexicana, mas a boa equipe da Brianezi do final dos anos 80 teve mais técnica e preparo físico. Canadá (também da Brianezi) e Costa Rica (Crakes) não conseguiram carimbar passaportes. Já pela América do Sul, pela primeira vez, a Bolívia fará parte do evento mais importante do futebol: a Copa do Mundo. Os botões flexíveis originais da Brianezi foram superiores ao Paraguai (Crakes), Venezuela (Crakes) e Peru (Champion). Ainda faltam decisões pela Ásia, onde a Arábia Saudita da Brianezi 'duas faixas' vai liderando o grupo. No 'velho continente' (Europa) teremos amanhã seus primeiros jogos: Albânia e Finlândia, darão o pontapé inicial em Tirana.
Hugo Sánches, do México, foi o destaque deste excelente time da Brianezi nas minhas Eliminatórias
Avante, Bolívia!
A Tunísia é uma equipe inconstante. Vamos ver como se portará neste mundial dos EUA 2016
Amanhã começa os grandes jogos pela Europa. A Albânia (esta sim, originalíssima do final dos anos 70, de material celuloíde flexível, da lendária Brianezi, time que pertencia a um ex-colecionador gaúcho) fará sua estreia diante da Finlândia também da fábrica do Belenzinho.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Bugre da Canindé 1970´s

Amaral e Ziza, 1975
Timaço campeão brasileiro de 1978
Reparem que a Brianezi também se utilizou no modelo de escudo da camisa de 1975, com as iniciais abaixo escrito GUARANI. Muitas pensam acreditavam que a fábrica do Belenzinho 'inventava' alguns emblemas, mas nota-se claramente que não, a prova é a camisa em que Ziza e Amaral vestiam naquelos idos. Este belíssimo Guarani de Campinas acima da Brianezi foi comprado pelo meu pai no começo de 1981, mas já circulava na fábrica desde 1977, época de início dos 'duas faixas'.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Um novo espaço para a coleção (cerca de 400 times originais de fábrica) de 'Botões para Sempre'

Com a aquisição de mais de 150 times em menos de 12 meses ficou praticamente inviável abrigar toda a coleção no antigo armário de casa. 'Botões para Sempre' comprou um novo 'equipamento' (boa palavra, já que os políticos de nosso país adoram usar esta expressão quando inauguram obras), bom deixa para lá esta 'cambada', para armazenar meus verdadeiros 'guerreiros' da Brianezi, Gulliver, Sportec e tantas outras marcas. Não pensem que mais de 150 times em menos de 01 ano foram gastos de forma 'absurda'. Não! O país merece justiça. Não podemos mais aceitar preços de brinquedos antigos que valem 'ouro', ou eles pensam que valem 'ouro' como se fossem uma 'Mercedez', na verdade, não valem mais que uma 'sucata velha', uma 'quinquilharia' que é arrematada inicialmente por um pouco mais que uma passagem de ônibus. De vez em quando eu penso e fico analisando: como pode um exemplar de um jogo de botão custar mais caro que uma consulta médica particular? Um médico estudou quase 10 anos para atender a população. E estes caras que 'vendem' botão não são médicos. Como pode, no meu caso, pois eu tenho uma profissão, uma matéria jornalística free-lancer que eu ganho (muitas vezes não consegue chegar no patamar de um preço 'sujo' que é anunciado) de um exemplar completo. É realmente para pensar friamente. E dar um verdadeiro basta nisto tudo. Eu já coloquei um' pé' bem grande no freio. Não sustento mais o hobby com preços desonestos. Só alimento esta cômoda com a realidade pobre de nosso país, ou seja, preços justos e honestos. Eita país em que vivemos! Será que é reflexo de Brasília-DF? Cambada de atravessadores, há muitos destes também infiltrados no mundo do botão. Eu como jornalista não vou cessar de falar a verdade. Doa a quem doer. Depois de seis anos colecionando descobri toda esta 'farsa' que se passa no meio. 
Abaixo algumas gavetas. Detalhe: só entrará na cômoda os times originais de fábrica. Os montados e customizados por mim, abrigarei em caixas de plástico e na caixa de madeira fantástica do meu irmão dos anos 90. Estou arrumando de acordo com os campeonatos em que jogo. As seleções (em torno de 86) foram escolhidas para a participação das Eliminatórias de minha Copa 2016. Os times do campeonato brasileiro da 1ª divisão e da 2ª divisão também. Mesmo processo da UEFA. Há muitos times 'B', digamos assim, que não foram escalados no primeiro 'pelotão'. Estes ficarão armazenados nas últimas gavetas. A nova cômoda veio com um armarinho 'aclopado' para a colocação das caixas antigas. Mas o mais importante na minha coleção de botões é colecionar os 'guerreiros' que entrarão na mesa e não tanta caixa repetida. Caixas novas não entram. Como disse em posts anteriores, no colecionismo o mais importante é a qualidade e não quantidade. E dou mais destaque para a qualidade em detrimento de acumulações de objetos.
Esta caixa da Gulliver com os botões da CBD realmente é a que mais gosto, pois me lembra muito a infância. Eu tinha algumas destas quando era pequeno (uma 'Holandinha', na caixa grande escrito 'Futebol de Botão Acrílico, com Rede). Sensacional. Recentemente também entraram mais de 03 caixas de minha primeira coleção no botonismo que foi a série de rostos coloridos de jogadores da Gulliver: 'Grandes times do Futebol Brasileiro', de 1977. A caixa mais antiga no armarinho pertence a Estrela, datada de 1958. É a coleção intitulada 'Azes da Pelota', com o logotipo da Estrela dos anos 50 com os botões do SPFC. Tenho mais de 50 caixas da Jucrake, mas coloquei apenas duas no armário, pois senão não vai caber. Mesmo caso da Brianezi, umas 15 caixas bem velhas não entraram, pois muitas não tem os nomes dos times, tudo no mesmo modelo. Aqui neste armarinho estou reunindo apenas uma quantidade considerável de decoração de caixas. Neste armário só vai entrar o que há de melhor. O resto colocarei em outro lugar, para não estocar tudo num só ambiente. Como disse prefiro ter milhares de botões com qualidade e colocar na mesa do que ter um monte de 'papelão velho'. Mas como as caixas fizeram parte das histórias e embalagens dos times, é viável colecionar as mais importantes e só. O problema é que no caso de futebol de botão, boa parte delas seguiram sempre o mesmo padrão.
Lado esquerdo: Campeonato Brasileiro da 1ª divisão
Lado direito: Campeonato Brasileiro da 2ª divisão
A Terceira Divisão do Brasileiro em formação à esquerda: 16 clubes, todos originais de fábrica. Aliás na cômoda só vai entrar time original. Time montado não entra, vai para a caixa de plástico e de madeira. No lado direito os 'guerreiros' originais de carinhas da Jofer 1970, Ìdolos do Futebol 1960 Gulliver 1977 etc.
No lado esquerdo a Champions League.
No lado direito a Copa UEFA.
As 86 seleções escaladas. Nesta gaveta só entra o pelotão número 1 de seleções. Outras repetidas e de modelos diferentes, vão para uma outra gaveta. Aqui só entra fera de todos os continentes!
As seleções que não foram escaladas. Precisam lutar muito para conseguir chegar na gaveta de cima (rs). Á direita times de plástico, todos originais da Estrela, Canindé e os Bolagol de times repetidos que possuo da Brianezi. Vemos muitos Gulliver de 1975, Jofer de 1970, Bola no Gool de 1974 etc.
A gaveta da Libertadores da América (lado esquerdo) com os times nacionais e estrangeiros que não foram escalados no primeiro pelotão (oh, loucura!, rs).

Santos - Acrílico - Canindé na caixa original - 1970´s

1973

terça-feira, 14 de junho de 2016

Coleção Sucrilhos Kellogg´s

Este botão achei perdido naquele lotaço de mais de 500 peças. Coloquei na impressora e escaneei para sentirmos melhor a visualização. Conversei com o colecionador Guilherme Nascimento e olha só o que ele nos traz de informações: Os sucrilhos Kellogg´s traziam botões de brinde na saudosa década de 60. Eram peças do tipo da fábrica 'Estrela', em diversas cores como vermelha e branca, com escudos de times que vinham no verso da caixa. "Chegamos a montar uns cinco times desta maneira, que aproveitamos para fazer clubes que não eram encontrados como o Bragantino, o Juventus da Mooca, a Ferroviária de Araraquara, o Botafogo de Ribeirão Preto, o São Bento de Sorocaba, enfim", completa o colecionador.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Santástico, o 'Show da Vila' - Antigo Brianezi flexível 'duas faixas' (final 70´s)

Mais um exemplar que desfilará na mesa de 'Botões para Sempre'. Substituirá o antigo Peixe da Brianezi 'gordinho', da terceira fase, comprado em 1989 pelo meu pai e também um outro Santos da antiga Crak´s, da última edição de 1988-89. Este agora arrematado é o mais antigo, de 1977-78, flexível e correm muito. Apenas a cor dele apresenta sinais de desgaste. Já ficou bem 'amarelado', digamos assim, porém quanto mais vemos marcas do tempo, o colecionismo agradece! Pelo menos para mim. Adoro peças antigas, isto mostra o aspecto do saudosismo e atesta 100% a originalidade. Aliás, cuidado com esta questão de 'originalidade'. Várias peças que de vez em quando aparecem por aí em sites de compra (rotineiramente, quase todo dia eu vejo) podem iludir colecionadores 'aventureiros', dizendo ser Brianezi original ou Gulliver original e o escambau que for. Cuidado e alerta máximo, sempre! Senão o nosso dinheiro vai literalmente para o 'ralo' e sustentará enganadores de plantão, que só visam o lucro ($). Isto é reflexo de Brasília-DF. Nosso país realmente está manchado de lama por todos os lados. E vida que segue...

terça-feira, 7 de junho de 2016

São Cristóvão - RJ - 'O time dos cadetes' - Raro exemplar da Brianezi flexível 'duas faixas'

O blog 'Botões para Sempre' já ultrapassa a marca expressiva de 1 milhão e 400 mil acessos. Gente do mundo inteiro que se interessa pelo nosso amado esporte. É realmente para se pensar nestes números. Quando fiz o site (em fins de 2010) não pensava que um dia pudesse chegar neste patamar exorbitante de acessos. É algo simplesmente espetacular, estratosférico e agradeço aos seguidores e apaixonados pelo Futmesa. O Futebol de Botão está em queda? Posso dizer que nos anos 70 e 80 era febre, hoje não tem mais o apelo de antigamente. Mas mesmo assim ainda restaram os saudosistas e sentimentalistas que ainda cultivam a nossa eterna brincadeira de criança. E também os mais jovens e crianças, por que não, bem menos que antigamente, diga-se de passagem. 
Bom, vamos falar sobre mais uma relíquia produzida pela Brianezi, no fim dos anos 70. Depois do exemplar dos EUA de 1978, o blog publica o querido e histórico São Cristóvão recém-adquirido, o time em que nasceu o 'Fenômeno Ronaldinho'. Para meus campeonatos, o time dos 'cadetes', assim chamado por causa da proximidade do clube com as instalações do Exército, participará da 3ª divisão do Brasileiro. E já posso adiantar que ele vem fortíssimo. Pois na minha terceirona, em formação, encontram-se exemplares da Bolagol, Canindé, Ki-Gol, enfim, o São Cristóvão vem com tudo para brigar com vagas. Foi assim que aconteceu com meu Piauí e Calouros do Ar. Ambos pularam da terceira para a segunda e, depois, para a elite do futebol nacional. E olha que o 'Enxuga Rato' de Teresina quase faturou um título internacional, na Copa Sul-Americana.
Vamos mergulhar na história do São Cristóvão? Acompanhem abaixo um resumo da linda história do clube.
A postagem é em homenagem ao amigo e colecionador José Márcio, de São Paulo, que assim como eu, curte as equipes alternativas do futebol brasileiro, que sempre apresentam um cunho histórico e de tradição.
O Time dos CADETES 
São Cristóvão de Futebol e Regatas é uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A sua Sede social e o Estádio Figueira de Melo ficam localizados na Rua Figueira de Mello, 200, no Bairro de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. A sua maior conquista foi o título do Campeonato Carioca da 1ª Divisão de 1926.
Vejam que maravilha o Santo São Cristóvão (que pertence a coleção particular de minha mãe) ladeado pela relíquia de mesmo nome da antiga Brianezi. Saudades e bons tempos da fábrica como este goleiro de pedra muito bonito, por sinal.
Clubes de origem e fusão
Foi fundado no bairro de São Cristóvão em 12 de outubro de 1898 o Club de Regatas São Christóvão, dedicado ao remo. Em 5 de julho de 1909, surgiu o São Christóvão Athletic Club, que se restringia ao futebol, e disputava o campeonato metropolitano – sua primeira partida foi disputada em 1 de agosto de 1909, vencendo o Piedade F.C.por 5 x 1. A união de ambos deu origem ao atual São Cristóvão de Futebol e Regatas em 13 de fevereiro de 1943 - um novo clube, que herdou do clube de futebol a fama conseguida nos campos, já campeão carioca e com bom desempenho nos gramados.
Títulos
Além do Carioca de 1926, o São Cristóvão também conquistou o Torneio Início em 1918, 28, 35 e 37 e foi ainda vice-campeão em outras seis ocasiões: 1920, 1925, 1927, 1938, 1940 e 1964, num total de dez decisões disputadas neste tradicional torneio. Também ficou com o vice-campeonato estadual em 1934. A maior atuação do São Cristóvão no Maracanã foi em 29 de março de 1975, quando enfrentando o Clube de Regatas Flamengo, de Zico, quando começou perdendo por 2 a 0 e numa reação sensacional venceu o partida por 3 a 2, inclusive com 2 gols anotados pelo ex jogador flamenguista Fio Maravilha.
São Cristóvão na Copa do Mundo
O São Cristóvão já mandou vários jogadores para defender o Brasil em Copas do Mundo. Está entre os 20 clubes que mais cederam atletas para o maior evento esportivo mundial. Em 1930, foram Zé Luiz, Doca e Teófilo. Em 1938, Afonsinho e Roberto. Este último marcou um dos gols da vitória brasileira por 2×1 sobre a Tchecoslováquia, tornando-se o único jogador 'cadete' a marcar em uma Copa.
O São Cristóvão possui um cartel que inclui 124 partidas internacionais, tendo a sua primeira partida internacional ocorrida contra marinheiros do cruzador inglês Orotawa, com vitória dos alvos por 4 a 1, em 17 de julho de 1917.
Ídolos
Além de Ronaldo ‘Fenômeno” outros nomes marcantes começaram por ali: o meia Djalminha, ex-Palmeiras; Carlos Alberto Parreira, ex-técnico da seleção (Parreira, aliás, começou como preparador físico do time e estreou como treinador no São Cristóvão, logo depois de formado em Educação Física e um pouco antes de ser convidado para ser técnico de Gana); e Sebastião Lazaroni, técnico da Seleção na Copa de 1990. Não custa lembrar que o craque Leônidas da Silva, o Diamante Negro, também já vestiu a camisa dos cadetes.
Fléxiveis, correm muito e encobrem muito bem os goleiros. São os chamados celulóides com 'duas faixas', que foram feitos entre 1977-1986
Lindo e raro exemplar!
O antigo campo da Rua Figueira de Melo foi inaugurado a 23 de abril de 1916, na partida jogada entre equipe da casa e o Santos Futebol Clube, diante de seis mil pessoas. Esta partida - que terminou empatada em 1x1 - marcou a primeira vez em que o Santos usou seu atual uniforme, todo branco, inspirado no do São Cristóvão. Durante muito tempo, a partir desta data, o Santos pintou o escudo do São Cristóvão nos muros da Vila Belmiro e associados destes dois clubes podiam usufruir das respectivas sedes, mutuamente. Em 1943, por determinação legal, após incidentes de superlotação na partida envolvendo a partida entre o time da casa e o Flamengo, o São Cristóvão teve que demolir as arquibancadas com estrutura de madeira. Reinaugurou as suas instalações, com novas arquibancadas de cimento, na partida em que foi derrotado por 5 X 3 pelo Vasco da Gama, em 29 de junho de 1946. Mesmo após esta remodelação, o estádio da Rua Figueira de Melo já pôde receber até oito mil pessoas. Hoje, no entanto, só está preparado para receber até mil pessoas.
(Foto:Acervo de Marco Túlio, blog Paixão por futebol)
O escudo do São Cristóvão possui, na parte inferior, seis listras pretas e cinco listras brancas e, na parte superior, catorze raios (sete pretos e sete brancos) saídos de um círculo rosa onde estão uma âncora, um timão e dois remos cruzados. Atravessando o escudo, numa faixa branca diagonal, lê-se, em letras pretas, a denominação SÃO CRISTÓVÃO F.R.. Todo o escudo é limitado por uma linha cor de rosa.
Amistoso contra o Dínamo de Zagreb (3 a 3) anos 50
1951 com Jordan da Costa (em destaque)
1980´s
1954
1956
1972
Leônidas da Silva, o Diamante Negro, inventor da famosa bicicleta e ídolo da Seleção Brasileira foi formado nas divisões de base do São Cristóvão e revelado pelo mesmo.
Os primórdios do clube...
Com Ronaldinho (em destaque acima e abaixo)
 Página do clube na antiga Revista Tico-Tico
O idolo Augusto. Revista 'O Globo Sportivo' (junho de 1943)
1943
1950
1952
1955
1961
1970´s
1970´s
1926
1927
Quando era chamado de SAAC
Revista Balas Futebol 1945-1950
Com Humberto Tozzi, um dos ídolos de toda a história.
Começando sua carreira no São Cristóvão. Ele é o segundo agachado partindo da esquerda. Crédito: revista Esporte Ilustrado número 763 -Novembro de 1952.
1943
Campeão Carioca 1926
1932. Revista Tico-Tico
1967 com Carlos Alberto Parreira (em pé, o primeiro da esquerda para a direita)
Principais Títulos
Estadual Carioca 1a. Divisão: 1926
Torneio Municipal: 1943
Torneio Início: 1918,1928,1933(AMEA),1937(FMD)
Campeão Carioca SubLiga: 1933
Campeão de Acesso: 1965
Parabéns ao clube. Parabéns a Brianezi por ter lembrado de produzir antigamente este magnífico clube de muita história no futebol brasileiro.