Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

sexta-feira, 25 de março de 2016

A história dos brinquedos e botões Jofer S/A Indústria e Comércio

Adquiri recentemente um jogo muito bonito e antigo da Jofer, aquisição esta feita a partir de uma troca. Aproveitei para pesquisar o número de CGC que vinha na respectiva caixinha para descobrirmos a data de fundação. A Jofer S/A iniciou em 21 de setembro de 1966, ou seja, no mesmo ano dos Bolagol, só que um mês após o nascimento da Indústria Santa Maria. Sua fabricação era diversa. A Jofer produzia artefatos de material plástico para uso pessoal e doméstico e seus brinquedos ficaram famosos no país inteiro. Mas, vamos dar destaque aos amados botões...
No final da década de 60, mais precisamente em 1969 e começo de 1970/1971, isto é, na primeira metade dos anos 70, a empresa deu destaque para a Coleção 'Craks da Pelota' (escrito exatamente desta forma nas caixas) com rostos coloridos de jogadores. Para a confecção das carinhas foi usado como base o álbum de figurinhas 'Artilheiros'. Porém, quem comprou botões nos anos 60 deve se lembrar da mesma Coleção com apenas o nome 'Craques da Pelota'. Esta já era encontrada em bancas de jornais, em 1966. Os botões eram vendidos como se fossem figurinhas, em pacotinhos. Foram lançados antes da produção dos rostos de jogadores do álbum 'Artilheiros'. A diferença é que vinha o escudo do lado do jogador e com fundos coloridos, diferentes do referido álbum, onde presenciávamos, no fundo, os estádios de futebol. Paralelamente a indústria também lançou botões nas bancas com o nome 'Ídolos do Futebol', acredito que a Editora Saravan também fez a mesma coisa, quem tiver informação real me passem, por favor. A arte vinha com rosto de jogador, fundo colorido e escudo, sem o nome do clube, apenas para diferenciar da 'Craques da Pelota'. Não podemos esquecer também da histórica Coleção Onze de Ouro. Mas esta, com certeza, a Editora Saravan produziu inicialmente, em 1964, em caixas padronizadas com o nome da Editora. Posteriormente a Jofer também produziu.
Nos anos 70, a empresa iniciava a produção de clubes brasileiros somente com o emblema dos times, para concorrer com duas fábricas: a Canindé, que nascia em 1969, e a Gulliver, que fez enorme sucesso com seus botões de brinquedos nas décadas de 70 e 80. Na caixa dos botões era possível encontrar a cartela do clube, uma travinha preta, o goleirinho, a palheta e a bolinha 'pastilha'. Na parte lateral da caixa o símbolo do time e o endereço da fábrica: Avenida Antonieta, em Guarulhos-SP. Havia também duas cores distintas de caixas: a azul e a vermelha.
Para o fabricante de botões Sérgio Fedato, o gosto de jogar botão deu-se início com os canoinhas e panelinhas da Estrela, por volta de 1969. "Logo me apaixonei pelo jogo e comecei a organizar meus próprios campeonatos, jogava sozinho e como só tinha uns quatro times paulistas, usava tampinhas de refrigerante para fazer os outros times", lembra. Daí a paixão pelos botões só aumentou. "Vieram os botões da extinta fábrica de Guarulhos, a Jofer. As peças tinham uma concepção bem bonita, de plástico transparente com 'tampinhas' por baixo e os times eram com fotos coloridas dos jogadores. Eu tinha os principais clubes de SP e do RJ, era o máximo", recorda Fedato. O colecionador salienta que seu irmão fez um campo comprando uma tábua na marcenaria. "Ficou show de bola, aí parei de jogar no chão e a coisa ficou mais legal ainda. Naquela época, os brinquedos não eram tão fáceis de serem comprados como hoje", relembra. Sua motivação aumentou ainda mais quando comprou figurinhas de jogadores e atualizava seus times com os novos jogadores.
O Guarani de Campinas da extinta e saudosa fábrica Jofer, feito nos anos 70. Na caixa com escudo aclopado e completíssimo, com todos os acessórios. Até a cartela está presente no fundo da caixinha, como lembrança. Incrível. Nota-se claramente que o antigo colecionador guardou com carinho este exemplar. Bela aquisição que entra para a minha coleção.
Reparem o símbolo da fábrica com o respectivo endereço.
Esta é a Craques da Pelota, de 1966. Esta coleção com o Botafogo encontrei por preço acessível, justo e honesto, diferente da grande maioria de preços absurdos e falsos, digamos assim, de botões que sempre foram baratos e que continuarão sendo 'para sempre', pelo menos para mim! A política de preços surreais e nefastos nunca mais fará parte de meu cotidiano como colecionador. Chega de pagar caro e de forma injusta. A realidade é outra. A ficha caiu. Graças a Deus.
Esta já é a coleção intitulada 'Craks da Pelota', escrito com ('Ks', no final), a partir de 1969-1970-1971, com foto de jogador retirada do álbum de figurinhas 'Artilheiros'. Também vinha com as caixas azuis idêntica do Guarani que adquiri. Reparem no nome da fábrica nos botões transparentes. Atrás dos mesmos, encontrávamos a tampinha ou 'chapinha' para prender os escudos.
As carinhas do álbum 'Artilheiros', que a Jofer confeccionou para sua coleção Craks da Pelota - 1971
O álbum histórico
Esta caixa vermelha a fábrica também lançou no mercado para a produção de times com botões de escudos.
Aqui vemos a Craques da Pelota, da Jofer, de 1966 e Onze de Ouro. Esta última coleção a Editora Saravan produziu inicialmente em 1964, posteriormente a Jofer também lançou.
Um brinquedo antigo produzido pela saudosa fábrica. Saudades e parabéns 'para sempre' para a Jofer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário