Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A história dos botões Gulliver

Precisaríamos de um livro para contar a extensa história da marca pioneira dos botões intitulados de 'brinquedos'. Botões para Sempre preparou um texto para resumir um pouco desta tradicional empresa, que se localiza em São Caetano do Sul/SP. Os botões Gulliver são produzidos até hoje. É a empresa autorizada pelos clubes de futebol a fabricar os botões de 'brinquedos', porém cada vez mais difíceis de se achar em lojas, especialmente os times brasileiros, dando preferência maior pela produção de poucas seleções.
Em 1959, o espanhol Mariano Lavin Ortiz chegou ao Brasil com seus filhos. Eles fundaram a 'Gulliver Manufatura de Brinquedos' dez anos depois, isto é, em 1969. O nome foi escolhido porque, na infância, Ortiz adorava a história “As Viagens de Gulliver”. Com quarenta décadas, a empresa foi responsável por brinquedos clássicos, como as pelúcias da Família Peposo, os Agarradinhos e o Forte Apache. Começaram a fazer botões na década de 1970. Em 1977, começaram a estampar o rosto dos jogadores, os famosos botões de 'carinhas', coleção esta que foi a minha pioneira dentro da história do botonismo. Pararam de fabricar as respectivas 'carinhas', uma pena, por volta de 1980. Lembro-me com orgulho e saudosismo que meu avô paterno, filho de molisianos, região perto de Nápoles, Sul da Itália, o sr. Oswaldo Bucci, me levava até uma banca de jornais para comprar os pacotinhos destes botões de 'carinhas'. Neles haviam três jogadores e a coleção ia aumentando. Isso foi por volta de 1979. Dois anos antes meu irmão já adquiria os primeiros times de 'carinhas' e que justamente foram os primeiros times de botão que apareciam em casa: o Corinthians e a Ponte Preta, Gulliver Cristal, que disputaram a finalíssima do Paulistão de 1977. Em 1986, a empresa vendeu 150 mil equipes, com botões de escudos dos 20 principais times do Brasil, que eles elegeram para produzi-los. Um atrativo era o preço mais baixo. Enquanto um Brianezi custava na época 140 cruzados, um time da Gulliver saía por quatro vezes menos. 
Uma das coleções mais amadas pelos colecionadores de botões: "Grandes times do Futebol Brasileiro" e os craques em 'carinhas' de 1977-78.
As cartelas que vinham nos saquinhos para adesivação
O Santos 'cristal', original da Gulliver de 1978, na época dos 'Meninos da Vila'. Reforço de peso para a disputa de meu "Super Campeonato Nacional", que já está em andamento, somente com botões de 'carinhas'.
Palmeiras original de 1978, de minha coleção
Julho de 1978. Esta imagem reproduz o que eu e meu irmão vivíamos na época. O Chevette marrom de meu pai, botões Gulliver 'carinhas' e brinquedos clássicos.
A Ponte Preta da Gulliver original de 1977 foi um dos primeiros times que apareciam em minha casa.
Edição de Luxo da Gulliver de 1978 de minha coleção
A série "Grandes times do futebol brasileiro", com rosto colorido de jogador (1977)

Os famosos Bolão e as caixinhas com seleções. Relíquias também do final dos anos 70

As viagens de Gulliver
Quem não conhece “As viagens de Gulliver”, no célebre romance de Jonathan Swift? Assim como o herói de Swift saiu de seu país e foi parar em Lilliput – uma terra habitada por homens pequeninos. Em março de 1959, Mariano Lavin Ortiz e seus filhos chegaram à nossa terra e encontraram também uma porção de seres pequeninos – as crianças. E foi pensando nelas e para dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo pai na Espanha que, em 1969, em São Caetano do Sul – SP, os filhos fundaram a Gulliver Manufatura de Brinquedos. O nome foi escolhido por eles que quando crianças, eram fascinados pelas viagens narradas no romance de Jonathan Swift. 
A aventura começa na Espanha
Na Espanha, Mariano Lavin Ortiz já mantinha forte relação com o universo dos brinquedos, mantendo uma fábrica de brinquedos na cidade de Madrid no começo dos anos 50. Sua convicção democrática, no entanto, era incompatível com a política do general Franco e, assim, em 1959, ele emigrou para nosso país com sua família. Mariano Lavin Ortiz faleceu em 1973, aos 59 anos, certo de ter concretizado seu sonho e sua aventura em nossa Lilliput – aventura essa continuada com a mesma eficiência pelos filhos e netos.
Funcionando hoje em novas e modernas instalações, em São Caetano do Sul, cidade em que foi fundada, a Gulliver tem evoluído, procurando oferecer sempre o melhor no mercado de brinquedos. No começo eram brinquedos de PVC, que evoluíram depois para diversos processos de transformação de plásticos. No início produzindo miniaturas pintadas artesanalmente baseadas em seriados de TV de temas do velho oeste americano como o Forte Apache, Acampamento Apache, Caravana, Chaparral e Super-Heróis como Batman e Robin, Super-Homem, Mulher-Maravilha, Homem-Aranha, Hulk, Capitão América, Homem de Ferro, sem falar no inesquecível Batmóvel clássico.
1978
Propaganda da revista Tio Patinhas, de 1975
Copa do Mundo, da Gulliver, de 1982.
Formato dos botões da Copa Gulliver Copa do Mundo de 82
México para a Copa de 86: três tamanhos

Botões de 02 tamanhos
Ceará difícil de se achar
Seleções diversas
Caixa da 2ª geração, anos 80
Reparem no Flamengo, à esquerda, do final dos anos 70 e o da direita, dos anos 80/90
Catálogo da segunda fase
Os famosos 'Bolão'
Copa do Mundo de 1978
Esta Holanda deslizava perfeitamente nos meus Estrelões antigos. Também do final dos 70´s
Uma seleção CBD bem antiga, final dos anos 70
Futebol de Botão Cristal, os famosos acrílicos, anos 80
Sim, o Corinthians tinha fundo verde, no final dos anos 70.
Saquinhos que vendiam em bancas de jornais, no fim dos anos 80, início dos 90

A série atual da Gulliver é composta por jogos de futebol de botão com times nacionais, como Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Flamengo, Vasco e Santos, e com seleções de outros países, como Argentina, Itália e Espanha.  
Fonte de pesquisa: Site oficial da Gulliver, Guia dos Curiosos (Marcelo Duarte) e os blogs: Coleção de Botão, Meus Times de Botão e Futebol de Botão Antigo

5 comentários:

  1. É uma pena que atualmente eles tenham relegado a fabricação dos botões a apenas seleções nacionais.

    ResponderExcluir
  2. Verdade, Vitor, até inseri esta informação no subtítulo. A última vez que encontrei um saquinho contendo um São Paulo FC da série Neymar foi nas Lojas Americanas, na Av. Paulista. Na Internet até vi pequenas lojas que vendem, em Minas Gerais, mas realmente as seleções são mais fáceis de se achar. Abs Ricardo

    ResponderExcluir
  3. João Paulo (Volta Redonda, RJ).19 de janeiro de 2016 09:24

    Estive pesquisando sobre futebol de botão na internet para matar um pouco das saudades da minha infância e achei esse blog. Gostei bastante, você está de parabéns. No entanto, gostaria que você me ajudasse. Para a Copa de 86, a Gulliver lançou uma coleção só de seleções. Você sabe me dizer quais seleções foram comercializadas? Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Olá, João Paulo! td bom? Muito obrigado por gostar do site; então, pelo que sei a Gulliver optou por fazer mais as seleções tradicionais em 1986. O México, anfitrião da casa, foi feito, inseri acima. Eles vendiam na forma de saquinhos plásticos. Acredito que foram feitas as tradicionais, nesta época eu não comprei esta coleção, já que a Brianezi ainda reinava absoluto. abs Ricardo

    ResponderExcluir
  5. Ola poxa a gulliver parou de fabricar os botões bolao mas eu gostaria muito que ela voltasse a fabricar

    ResponderExcluir