Copa de 1982

Copa de 1982
Lembranças da Copa do Mundo de 1982: veja o artigo que escrevi sobre o melhor mundial de todos os tempos

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Os que deixaram de existir: Associação Atlética Santo Amaro - PE

Botões para Sempre traz uma reportagem especial com o amigo botonista Armando Pordeus sobre a história do extinto e querido Santo Amaro, de Recife. Quando visitei a cidade pela primeira vez, no final dos anos 80, fiquei encantado com a quantidade de times alternativos. Meus objetivos estavam traçados: além de conhecer a bela 'Veneza Brasileira', tive a oportunidade como adolescente de presenciar de perto os clubes locais e comprar as camisas de futebol da época, que era meu sonho de consumo na capital de Pernambuco. De quebra, participei do treino do Sport, conheci o clube e adquiri na bagagem algumas camisas dos times pequenos da cidade. Uma pena que desconheço completamente se a Brianezi produziu os times alternativos de Pernambuco como o Ìbis, o 'pior time do mundo' e o Santo Amaro. Nunca os encontrei e também não faziam parte do catálogo da saudosa fábrica de brinquedos, apenas o Central de Caruaru, que já faz parte dos times campeões de 'Botões para Sempre'.
Segundo Armando Pordeus, um dos mais famosos botonistas de Pernambuco e estudioso da história do futebol de seu Estado, o extinto Santo Amaro foi fundado pelo vereador e radialista Alcides Teixeira. "Ele deu o nome de Santo Amaro em homenagem ao bairro que ele residia e onde tinha o seu curral eleitoral", lembra Pordeus.
Seu primeiro nome foi Associação Atlética das Vovozinhas, fundado em 01 de janeiro de 1950. Disputava jogos e torneios amadores até 1965. "O nome ficou conhecido como Vovozinhas por causa de um programa que Alcides Teixeira apresentava nas rádios com esse título", recorda. Em 1966, o clube se profissionalizou para disputar o campeonato pernambucano e tornou-se AA Santo Amaro. Foi aí que o time se notabilizou pelas péssimas campanhas, alternando com o Ìbis Sport Club, como sendo os dois piores times do Estado. Detalhe: nos anos 70 perdeu de 15 a 2 para o Santa Cruz. E também para o Sport Recife de 14 a 0, sendo que Dadá Maravilha anotou dez gols a favor do time do Sport. Foi aí que Dadá se consagrou como sendo o maior artilheiro do país numa única só partida, com 10 tentos anotados.
No ano de 1981 seu grande feito: o querido Santo Amaro foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro da 3ª divisão. No dia 25 de abril, no estádio Marechal Hermes, no Rio, o time recifense perdeu por 4 a 0 para o Olaria - RJ.
Em 1994 seus dirigentes venderam a equipe para uma rede de drogarias chamada Casa Caiada, pois o clube não tinha mais condições de se manter no profissionalismo. Mudou o nome para AA Casa Caiada. Logo depois passou a ser denominado Recife Futebol Clube e transferiu sua sede para a cidade de Goiana. Hoje é conhecido como Manchete Futebol Clube, desde 2004.
Em detalhe a camisa antiga (que pertenceu a minha coleção particular) do Santo Amaro, que comprei numa excelente loja de artigos esportivos do Recife dos anos 80. Saudades...muitas conversas com o gerente da loja sobre o futebol local...dos queridos Ìbis, Santo Amaro, Estudantes de Timbaúba, Sete de Setembro, Central, Ameriquinha etc.
1981 e o vice campeonato da Terceira Divisão Nacional
O nome Santo Amaro foi escolhido por Alcides Teixeira em homenagem ao histórico bairro recifense
Arruda, anos 80, palco de muitas partidas do Santo Amaro
O antigo time perfilado nos anos 80
Hoje é o atual Manchete FC
Ricardo Rocha: o zagueiro foi o maior ídolo do Santo Amaro. Depois fez sucesso no Santa Cruz e defendeu a Seleção Brasileira de Futebol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário